“O coisa”

UM CASAL DE VELHOS E UM FILHO SOLTEIRÃO DE CINQUENTA

POBRE CASAL DE VELHOS! Sofre nas mãos desse sujeito. Isso não é filho. É um pesadelo! Trabalhar, não trabalha, e quando faz alguma coisa, os míseros trocados que ganha, gasta em cachaça, cigarro e sabe lá em  quê mais!

POBRE CASAL DE VELHOS! O bebum cheirado é asqueroso e tarado. Mostra aquele fumo de rolo pra qualquer criança da rua; perde a chave e arromba a porta quantas vezes esta não for aberta por um dos pais. Não se pode dormir naquela casa, porque não se sabe a hora que aquela assombração pode

aparecer.

POBRE CASAL DE VELHOS! O stress é tanto que um morre, logo após o outro, no espaço de menos de três meses. E agora, o que será do futuro daquele troço?

Para surpresa de todos, “a fraude de gente” pára de beber, arruma emprego, põe em dia as contas da casa, melhora a aparência e a auto-estima; fica amigo da vizinhança, não perde mais a chave da porta, em fim, torna-se um cidadão de bem

CASAL DE VELHOS FILHOS DA “P”! São eles quem estraga o garoto.