Tendências em Marcenaria

Por falta de mão de obra especializada no ramo de marcenaria, os arquitetos têm tido poucas opções para executarem suas criações; embora as indústrias de ferragens e as lojas especializadas em materiais para construções de móveis, estejam lançando grande variedade de produtos que realmente facilitam a vida dos marceneiros, ainda assim, só resta aos arquitetos a opção de combinar cores, padrões e texturas. Por isso os armários modulados entram em cena, enquanto que os armários sob-medida ganham os status de produto de quem pode pagar mais. ” Assim surgem as tendências” no mercado de móveis. É comum uma empresa criar um belo projeto que se torna em uma tendência por alguns anos, mas com a fabricação em série e as imitações baratas, ela acaba virando “brega”. Não há como resolver este problema sem a criação de cursos profissionalizantes de marcenaria, que ensinem os fundamentos da profissão: Cursos que habilitem os profissionais a pensar e a criar; não a copiar caixotes, mesmo que sejam lindos. Seria muito bom, se todo arquiteto, todo engenheiro, todo estudante de desenho industrial, todo publicitário, decoradores, promotores de eventos etc. fizessem também um bom curso de marcenaria, para poderem projetar ambientes com boa estética, mas sem perder a funcionalidade. Eu Wagnon, tendo começado na marcenaria em 1968, ainda garoto, e atravessado muitas tendências, trabalhado com todos os tipos de materiais existentes, e ainda em plena atividade, sempre ligado às novas tecnologias, integrado ao mundo da informática com seus programas mais complexos de desenho de móveis em 3D, faço tudo isso sem abandonar as bases e os fundamentos da marcenaria, e não abro mão de fazer os primeiros traços de um projeto a lápis e borracha, quando o cliente quer participar da criação. Por estes e  outros motivos eu estou preparado, e sinto-me na obrigação de dedicar parte do meu tempo ensinando minha arte. Não basta ter o trabalho reconhecido pelo cliente; é preciso fazer discípulos. Wagnon Soresine